A A A

José Engling

José Engling

Ideal Pessoal: “Ser tudo para todos e propriedade especial de Maria”

englingPor meio desta pequena frase, podemos entender a vida de José Engling. Um jovem camponês, de figura exterior pouco atraente, que possuía todos os motivos para ficar na sombra. Porém, desde que se percebeu vocacionado para a grandeza, nada conseguiu detê-lo. Sem amargura, sem frustrações diante dos pesados tributos que sua natureza lhe impunha, aceitou a luta em todos os campos, quebrando lanças com uma persistência que poucos neste mundo viram.

José Engling foi seminarista da Sociedade São Vicente Pallotti e aluno do Pe. José Kentenich. Pertencia à Congregação Mariana, mas não participou da fundação de Schoenstatt em 18 de outubro de 1914, pois chegou dias mais tarde das férias anuais. Mesmo assim, foi um dos que primeiro e mais profundamente compreendeu o sentido dessa consagração.

Sua vida de Aliança levou o Pe. José Kentenich a dizer: “Engling foi o Documento de Fundação vivido!”

Como soldado na Primeira Guerra Mundial, deu testemunho de como a santidade pode ser vivida em ambientes totalmente adversos. Continuou, ali, seu esforço pela santificação e viveu fielmente a Aliança de Amor pelas contribuições ao Capital de Graças. Seu diário relata o heroísmo de uma vida entregue a Deus sob o cuidado e proteção de Maria.

Nos campos de batalha, em meios às trincheiras, foi de fato ‘tudo para todos’, sempre servindo seus companheiros e os demais que encontrava, e também ‘propriedade especial de Maria’, como um filho fiel à Mãe de Deus.

É com José Engling que nasce a aspiração das “Flores de Maio”, tão cultivadas entre os filhos de Schoenstatt. No mês de Maria, muitos se inspiram em Engling para oferecer um ramalhete espiritual de flores, conquistadas por meio das contribuições ao Capital de Graças, para a Mãe e Rainha.

Engling faleceu em 4 de outubro de 1918, em Cambrai/França, poucos dias antes de terminar a Primeira Guerra Mundial. No local onde o jovem herói tombou, no território francês que faz divisa com a Alemanha, foi construído o Santuário da Unidade e é onde ele está sepultado. Atualmente seu processo de canonização segue na Congregação pela Causa dos Santos, em Roma.

englingO exemplo do jovem soldado que ofereceu a vida pela Obra da MTA permanece para todas as gerações. Pe. Kentenich repetiu muitas vezes e continua repetindo àqueles que pertencem à sua Obra: “Quem será o José Engling de hoje?”

Algumas palavras de José Engling.

“A imagem sublime da Mãe está agora vivamente diante dos meus olhos. Uma só coisa deve nortear a minha vida: Tudo por ti, querida Mãezinha.”

“Mãe, nenhum sacrifício quero considerar por demais pesado. Quando se trata de tua honra, não quero recusar nem o mais duro sacrifício. Mãe, dá-me força para me conservar fiel a esse propósito”.

“Cinco vezes ao dia – duas de manhã e três à tarde – quero lembrar-me que um filho de Maria não deve andar triste e me esforçarei para estar alegre. Se alguma vez estiver abatido, quero combater este sentimento e impor-me uma penitência.”

“Querida Mãezinha, quero aproveitar as difíceis circunstâncias em que me colocaste, para me santificar o mais depressa possível. Na vida militar, tu me deste uma ótima ocasião, embora espinhosa. Quero aproveitá-la. Chamaste-me a ser teu vassalo. Quero esforçar-me por aproximar todos de ti.”

“Querida Mãezinha! Mater Ter Admirabilis! A ti novamente me consagro como holocausto. A ti, consagro tudo o que sou e tenho: meu corpo e minha alma com todas as suas faculdades, meus bens e haveres, minha liberdade e minha vontade. Sou teu, inteiramente, sem reservas! Dispõe de mim e do que me pertence, como te aprouver. Se, no entanto, for compatível com teus planos, deixa-me ser um holocausto, pelas tarefas que propuseste à nossa Congregação (Movimento Apostólico de Schoenstatt). Em humildade, teu indigno servo, José Engling.”

Referência Bibliográfica:
“Herói de duas espadas” – Olivo Cesca