A A A

Instituto Secular dos Irmãos de Maria de Schoenstatt

Instituto Secular dos Irmãos de Maria de Schoenstatt

 

Clique e entre no site do Instituto

 

irmaos

O Movimento Apostólico de Schoenstatt tem como parte de sua organização o Instituto Secular dos Irmãos de Maria de Schoenstatt. São homens que consideram relevante a missão da Mãe de Deus e acreditam que essa missão continua até a conclusão da história humana. A partir dessa visão, eles optam em cooperar com Maria, colocando-se inteiramente a sua disposição na execução de sua tarefa, que é acompanhar Cristo e cooperar com ele na Obra da Redenção.

Os Irmãos de Maria são uma comunidade que se estrutura em pequenos grupos (Filiais) que vivem, como uma família no meio do mundo, partilhando entre si uma moradia de onde cada um vai ao seu trabalho. Em casa ocupam-se com o cultivo de espírito, com a oração, com os trabalhos práticos de um lar, com horas de lazer e diálogo entre si.

A estes grupos são vinculados também os Externos que vivem sozinhos. Periodicamente eles reúnem-se em suas pequenas comunidades para se abastecerem de espírito e vida familiar. Cada Irmão de Maria pertence a uma dessas comunidades e também a um Curso que é formado por aqueles que ingressam e se formam na mesma época.

Fundação

Pe. José Kentenich fundou os Irmãos de Maria de Schoenstatt, juntamente com Eduardo Pesendorfer, durante a segunda guerra mundial (1939-1945), sendo ambos prisioneiros no Campo de Concentração de Dachau, Alemanha.

Perto da cidade de Dachau, próximo de Munique, no sul da Alemanha, foi construído em 1933, pelo governo nazista, o primeiro Campo de Concentração. O Pe. José Kentenich foi preso lá a partir de março do ano de 1942, época mais terrível neste campo. É nesse “inferno” de Dachau que nasce a comunidade dos Irmãos de Maria.

Ideal

O Fundador, Pe. José Kentenich, escreve: “O ideal do Irmão de Maria contém três dimensões: o ideal da vocação laical, o ideal da profissão laical, o ideal da missão laical”.

– Vocação laical: esse Instituto é composto por homens que consideram e assumem seu “ser leigo” como vocação. No decorrer dos tempos, o mundo leigo afastou-se de seus vínculos sobrenaturais e com isso perdeu quase por completo, em todas as suas obras, o ponto de referência: Deus. Neste processo de afastamento, deixou-se de lado o elemento vital da cultura: a união com o Criador. Os Irmãs de Maria querem recuperar esses vínculos por meio da vocação à qual foram chamados.

– Profissão laical: com a expressão “profissão laical”, Pe. Kentenich refere-se à vida profissional e aos campos de trabalho do Irmão de Maria. Todas as profissões, com princípios éticos compatíveis, podem ser seu campo de trabalho. O Irmão de Maria pode trabalhar em técnicas e engenharias, na área da pedagogia, saúde, administração, na ciência, arte, economia, política, prestação de serviço, etc. É indispensável que ele esteja profissionalmente definido e engajado e que seja um profissional competente.

– Missão laical: a existência laical, que o Irmão de Maria assume por vocação, torna-se para ele missão. O religioso tem uma missão, o sacerdote tem uma missão, o leigo tem uma missão. O Irmão de Maria enquadra-se entre os leigos e busca , como sua missão, cooperar com o mundo leigo para criar em toda parte, especialmente no âmbito profissional, uma mentalidade laica cristã. O Irmão de Maria não abandona o mundo, mas o assume.

Espiritualidade

O leigo cristão alimenta sua espiritualidade a partir de seu estar e de sua vivência no mundo, a criação o faz lembrar-se de Deus.

O alimento espiritual do religioso e do sacerdote são as meditações, celebrações, a grande oração das horas, a administração dos sacramentos, estudos religiosos, iniciativas pastorais, etc. O leigo também se alimenta dessa fonte, compartilha a palavra de Deus e os sacramentos, mas a base para sua vida espiritual vem do mundo, porque nele e com ele lida a vida inteira.

Quem possui genuína mentalidade laica cristã, vive vinculado de coração às realidades deste mundo, mas sabe que não é deste mundo. Assume este mundo a partir de outro mundo e tem por missão executar sua obra junto com os elementos desta criação para elevá-los, no próprio coração, até Deus.

Opção por Cristo

A opção por Cristo feita pelos Irmãos de Maria engloba viver em liberdade, ou seja, por amor – já que os Institutos de Schoenstatt não fazem votos religiosos – os conselhos evangélicos da pobreza, obediência e castidade.

– Virgindade: não apenas a castidade, mas a virgindade é parte da espiritualidade. O Irmão de Maria opta por essa condição, renunciando à esposa e filhos próprios. A Virgindade é uma opção que libera o homem para uma relação direta com Deus e seu reino. Foi por meio da virgindade que Deus nasceu para o mundo.

– Obediência: supõe colocar toda sua independência à disposição do que Deus deseja. Não é mais ele próprio que determina seus caminhos, mas um “outro”: Deus. Desta forma, a vida se torna fecunda. Deus manifesta sua vontade de muitas maneiras: pelas circunstâncias e acontecimentos, pelo feitio de todas as coisas, pela voz do tempo e do próprio coração e pelas autoridades legalmente constituídas nas comunidades, na Igreja e no mundo. Deus exerce grande influência por meio daqueles que se sujeitam à sua vontade, isso é, por meio dos humildes.

– Pobreza: ao decidir-se por sua vocação, o Irmão de Maria opta pela pobreza. Desprende-se do apego desordenado às coisas do mundo e as assume como um administrador responsável. Tudo o que ganha com seu trabalho entrega à sua comunidade, que é  sua família, pela qual assume a responsabilidade. Isto vale para todos, independente de quanto ganham. Recebem, depois, uma mensalidade, igual para todos, e, periodicamente, prestam contas de suas receitas e despesas.

O modelo

Os Irmãos de Maria aspiram o “Novo Homem” redimido por Cristo, segundo o modelo de Maria. A Mãe de Deus é um modelo tão universal que todos os homens e mulheres podem se encontrar nele. Mas, um homem pode e deve assumir, como modelo, uma mulher? Em nossa relação com Cristo não há distinção de sexo!

Deus tem uma ideia sobre cada pessoa referente ao seu ser e agir. Por seu ser, Maria é Companheira de Cristo. Por seu agir, ela é Cooperadora de Cristo. O mesmo ideal aspira o Irmão de Maria: acompanhar Cristo e cooperar com Ele. Associado à Mãe de Deus, em aliança com Ela, ele, em última análise, quer, como Maria, acompanhar Cristo e cooperar com Ele na Obra da Redenção.

Entre em contato

Endereço postal:

Ir. Manfred Worlitschek

Rua Pe. Kentenich, 280

Santa Maria/RS – Brasil

CEP: 97095-510

Telefone: (55) 9997-0952 (Ernesto)

e-mail: orgaodetubos@terra.com.br

Leia mais....